Fábula: O lobo e o cordeiro, texto de Monteiro Lobato

Fábula antiga, história das mais atuais!

Peregrinacultural's Weblog

O lobo e o cordeiro

Estava o cordeiro a beber num córrego, quando apareceu um lobo esfaimado , de horrendo aspecto.

— Que desaforo é esse de turvar a água que venho beber? — disse o monstro arreganhando os dentes.  Espere, que vou castigar tamanha má-criação!…

O cordeirinho, trêmulo de medo,respondeu com inocência:

— Como posso turvar a água que o senhor vai beber se ela corre do senhor para mim?

Era verdade aquilo e o lobo atrapalhou-se com a resposta.  Mas não deu  o rabo a torcer.

— Além disso — inventou ele — sei que você andou falando mal de mim o ano passado.

— Como poderia falar mal do senhor o ano passado, se nasci este ano?

Novamente confundido pela voz da inocência, o lobo insistiu:

— Se não foi você, foi seu irmão mais velho, o que dá no mesmo.

— Como…

Ver o post original 536 mais palavras

Por que dirigimos assim? Parte II

Por que dirigimos assim?! (parte II)

Grupo Transporte Humano

Segunda parte da entrevista com o autor do livro: “Traffic: Why We Drive the Way We Do” (disponível em português: “Por que dirigimos assim?” ).

Continuação…

Amazon: Muito do que você revelou sobre a vida nas estradas parece contra-intuitivo. Como o fato de que os motoristas dirigem mais próximo dos carros que estão se aproximando quando existe uma linha divisória central do que quando não existe; que a maioria dos acidentes acontece perto de casa, em ambientes familiares e não estranhos; que as estradas perigosas podem ser mais seguras; que carros mais seguros podem ser mais perigosos; que subúrbios são muitas vezes mais arriscadas do que o centro da cidade; uma rotatória mais segura do que um cruzamento. Quando se trata de trânsito por que as coisas são tão diferentes de como nós instintivamente percebemos?
Tom: Eu acho que parte da razão é que é fácil…

Ver o post original 1.231 mais palavras

Por que dirigimos assim? Parte I

Por que dirigimos assim?!

Grupo Transporte Humano

No site amazon.com foi publicada uma entrevista com Tom Vanderbilt, autor do livro: “Traffic: Why We Drive the Way We Do” (disponível em português: “Por que dirigimos assim?” ).

A seguir a tradução da entrevista:

Perguntas para Tom Vanderbilt, autor de “Por que dirigimos assim?”

Amazon: Esse livro realmente nasceu em uma estrada em New Jersey?
Tom: Sim, embora pudesse ter sido em qualquer estrada do mundo, onde motoristas incontáveis, dirigindo em uma estrada cheia, prestes a ter redução de uma faixa, tem que tomar uma simples decisão: quando mudar de faixa. Durante toda minha vida de motorista, sempre mudei logo de faixa, imaginando que essa seria a maneira educada e eficiente de fazer isso. Vi aqueles que continuavam dirigindo até o local de junção das faixas e entravam na frente de todos, como egoístas idiotas, que estavam dificultando a vida do resto dos motoristas…

Ver o post original 797 mais palavras

CURTAS | A americana

Esta se passou no estado americano do Arizona.

Fila de caixa de supermercado. Uma jovem, vinte e poucos anos, aparentemente mexicana, fala ao telefone em um idioma estranho. À frente dela, uma senhora branca, inequivocamente anglo-saxônica. A ligação termina e a senhora, incapaz de se conter por mais tempo, vira-se:

— Escute, eu não quis falar nada antes, porque você estava em uma ligação, mas a verdade é que agora você está na América, querida, e precisa falar em inglês.

— Desculpe, mas não estou entendendo…

— Se você quer falar “mexicano” — começou a mais velha, como se estivesse revelando o mundo para uma criança de sete anos — faça isto no México. Aqui na América, falamos inglês. É a língua da terra.

E a jovem, após dois dedos de pausa:

— Ah, agora ficou claro… Pois então: eu falava navajo. Portanto, se a senhora quer falar inglês, eu sugiro que vá para a Inglaterra.

(Adaptado de http://notalwaysright.com/the-first-and-true-language-of-america/31947)

“A Copa do Mund…

“A Copa do Mundo é um evento privado. O melhor da Copa do Mundo é que é um evento que consome menor quantidade de dinheiro público do mundo.”

Responda nos comentários: quem disse isto (não vale colar no Google!)?

Hipossemancolemia, a nova doença do século

Descrição: transtorno de personalidade na qual a pessoa tem dificuldade de ter noção justa do real e do ridículo, devido a baixos níveis do neurotransmissor semancol no córtex cerebral. O impacto parece ser especialmente severo no córtex pré-frontal, responsável pela expressão da personalidade, tomada de decisões e modulação do comportamento social.

Causas: na HPSL tipo 1, mais rara, o organismo não consegue produzir semancol em quantidade suficiente para o bom funcionamento do cérebro, Suspeita-se que fatores genéticos sejam determinantes para o surgimento do quadro. Na HPSL tipo 2, mais comum, o sistema imunológico desenvolve anticorpos antissemancol, provavelmente por identificá-lo erradamente como xatiol.

Fatores de risco conhecidos: audição enviesada; incontinência verbal; hipotonia do raciocínio crítico; hiperfacebookismo; photoshopismo; recortacolismo; hipoletramento e pseudoletramento; militontismo; televisionismo; preconceito; intoxicação por publicidade e propaganda

Tratamento: não existe cura; entretanto, a hipossemancolemia pode ser controlada com educação, reflexão e respeito. Estudos sugerem que estas substâncias essenciais não só auxiliam o cérebro a produzir pensamentos capazes de elevar os níveis de semancol como aumentam a meia-vida do composto, além de prolongar a vida do sujeito.

%d blogueiros gostam disto: