VALE BEIJING: após água-aberta, supernavio da Vale aguarda reparos no Maranhão

RIO – O navio Vale Beijing, da empresa de navegação coreana STX Pan Ocean, está fundeado na Baía de São Marcos, em São Luís (MA), onde técnicos vão avaliar a embarcação. O cargueiro apresentou problemas no domingo, quando carregava minério de ferro no Terminal de Ponta da Madeira, pertencente à Vale. No momento, o navio está ancorado [fundeado] a cerca dez quilômetros [seis milhas] do terminal da Vale, responsável pelo escoamento do minério da província de Carajás, no Pará.

O capitão Nelson Ricardo Calmon Bahia, da Capitania dos Portos do Maranhão, disse que sensores do navio identificaram problemas nos tanques de lastro da embarcação, situados na popa (parte traseira do navio), [a bombordo e a boreste], enquanto se fazia o carregamento de minério. A popa ficou mais funda [com mais calado] do que o normal e houve risco de o navio encalhar no terminal. A água do mar começou a entrar nos tanques de lastro do navio, o que indicou possíveis rachaduras nestes tanques. O incidente ocorreu quando o navio já estava carregado com cerca de 300 mil toneladas de minério de ferro. A capacidade do navio é de cerca de 400 mil toneladas.

O navio seguiria para o porto de Rotterdã, na Holanda. O Vale Beijing faz parte de um pacote de 16 embarcações que a Vale contratou na Ásia, com armadores locais. A ideia inicial era de que os navios operassem para a Vale em contratos de arrendamento de 25 anos, mas agora a mineradora estaria disposta a renegociar esses contratos no mercado. O Vale Beijing, construído em estaleiro da STX na Coreia, foi entregue em setembro e fazia, em Ponta da Madeira, o primeiro carregamento de minério. No total, a STX Pan Ocean tem contrato com a Vale para entregar oito embarcações especializadas no transporte de minério.

Calmon Bahia disse que agora o navio está posicionado em profundidades maiores e permanece estável à espera das equipes técnicas. Segundo Calmon Bahia, que é capitão da Marinha para os portos do Maranhão, o píer um do Terminal de Ponta da Madeira estaria livre para receber outras embarcações. A Vale informou que vai divulgar nota ainda hoje com novas informações sobre o incidente.

Calmon Bahia disse que não houve vazamento de minério na Baía de São Marcos, onde fica o terminal da Vale. Perguntado se há risco de o navio afundar, disse considerar “remota” essa possibilidade. Ele confirmou que a capitania dos Portos do Maranhão abriu inquérito administrativo para apurar as causas do acidente. Depois de pronto, o inquérito será encaminhado ao Tribunal Marítimo, no Rio, a quem caberá decidir sobre eventuais aplicações de penalidades.

Fonte próxima à STX Pan Ocean disse que a empresa enviou ao Maranhão um representante para acompanhar o caso.Para retirar o navio do píer um, foi preciso esperar a maré cheia. Isso porque as variações de maré em um mesmo dia, na Baía de São Marcos, são muito grandes. A fonte disse que a água que entrou no tanque de lastro passou a ser retirada com bombas existentes dentro do próprio compartimento. O incidente levantou suspeitas de que poderia haver algum problema estrutural no navio, mas a fonte disse que qualquer especulação seria precipitada. “Vai ser preciso aguardar a apuração sobre as causas do incidente”, afirmou.
Fonte: Valor / Francisco Góes

Anúncios

Tags:, , , , ,

About Alexandre da Rocha

Nasci carioca, nasci guanabarino. Desconfio que nasci marinho. Cheguei a deixar do mar, sim... Mas cadê que o mar deixou de mim? Vim morar
%d blogueiros gostam disto: