RIO GRANDE | Reunião discute entrada do casco da P-58

Por Carmem Ziebell (carmem@jornalagora.com.br)

A entrada do navio MT Welsh Venture no porto do Rio Grande foi discutida, na manhã de hoje, 21, em uma reunião entre a Petrobras e demais envolvidos no assunto. No encontro, realizado na sede da Praticagem da Barra, foi apresentado e debatido o plano de ingresso da embarcação no porto. O navio, que será transformado em casco da P-58, chegou a Rio Grande no final da manhã de terça-feira e está fundeado a 12 milhas da entrada do porto rio-grandino.

A passagem do navio no canal de acesso ao porto exige planejamento detalhado, considerando as dimensões da embarcação, a antiga linha aérea de transmissão de energia elétrica para São José do Norte, que atravessa o canal e ainda não foi removida, e a existência de pontos de assoreamento no trajeto. Outras reuniões serão realizadas para discutir o assunto.

A estimativa é que a entrada do MT Welsh Venture no porto ocorra em 12 dias ou mais, segundo a Capitania dos Portos. Conforme o plano apresentado ontem, o navio entrará no canal de acesso de proa e na altura do terminal da Braskem fará um giro para seguir até o Porto Novo de popa. Inicialmente, ele será rebocado por três rebocadores. No momento de fazer o giro, deverão ser mobilizados mais três.

Participaram da reunião representantes da Capitania dos Portos, da Quip, da empresa de consultoria técnica Noble Denton, da Superintendência do Porto do Rio Grande, da Praticagem da Barra e do Conselho de Autoridade Portuária (CAP). Quando entrar no porto, o Welsh Venture irá atracar na ponta Sul do Porto Novo. Ele será convertido em casco da P-58 pela Queiroz Galvão, que também vai construir os módulos de geração e elétrico dessa plataforma e fazer a integração de todos os módulos no casco, inclusive dos que serão construídos no Rio de Janeiro. A empresa fará esse serviço em uma área ao lado do canteiro de obras da Quip, em Rio Grande.

A P-58 será uma plataforma do tipo FPSO (sigla em inglês para plataforma flutuante que produz, processa, armazena e escoa petróleo) e será instalada no norte do Parque das Baleias, no Espírito Santo. Terá capacidade de produção de 180 mil barris de óleo/dia e de compressão de 6 milhões de metros cúbicos de gás/dia. O investimento no projeto dessa plataforma será superior a 1,3 bilhão de dólares.

Fonte: http://www.jornalagora.com.br/site/content/noticias/detalhe.php?e=8&n=17700


Anúncios

Tags:, , , , ,

About Alexandre da Rocha

Nasci carioca, nasci guanabarino. Desconfio que nasci marinho. Cheguei a deixar do mar, sim... Mas cadê que o mar deixou de mim? Vim morar
%d blogueiros gostam disto: