PORTO DE ITAJAÍ | Solução questionável

Maersk Lima (LOA 300 m, B 45 m, 7.450 TEUs)

O reposicionamento do molhe norte do canal de acesso ao porto de Itajaí corre o risco de não atingir o objetivo de permitir que navios de 7.400 TEUs (unidade equivalente a um contêiner de 20 pés, ou 6 metros) possam escalar em Itajaí ou em Navegantes.

Em maio, a Itajaí e Navegantes Práticos, que reúne os profissionais especializados em navegar com navios no Itajaí-Açu, questionou a Autoridade Portuária a respeito da distância do deslocamento, de cerca de 10 metros, contra os 20 a 25 metros recomendados pela entidade. Para os práticos, a largura projetada do canal de acesso na barra, de 144 metros, não permitirá o tráfego seguro dos navios pretendidos, de 300 metros de comprimento e 45 metros de boca (largura) — o limite atual é de 278 metros de comprimento e 40 metros de boca.

Até o momento, nem a  Autoridade Portuária nem a Secretaria Especial de Portos responderam formalmente à praticagem.

Manobras noturnas

A questão do molhe norte pode comprometer também a adoção de novos parâmetros para as manobras noturnas. Pelo menos metade dos navios que escalaram no porto de Itajaí e no terminal portuário de Navegantes durante o mês de maio só pode manobrar durante o dia, por terem comprimento superior a 235 metros — uma provável desvantagem competitiva, já que é o limite mais estrito entre todos os grandes portos de contêineres dos três estados do Sul.

Segundo a RBS, a União investe R$ 8,2 milhões no reposicionamento do molhe norte.

Opinião

Esta é mais uma mostra de o quanto os portos brasileiros — SEP incluída — são descuidados no gerenciamento do dinheiro público e dos riscos náuticos.

Para efetivamente respeitar o dinheiro do contribuinte, bastava testar o conceito em simulador de manobras. Por algumas dezenas de milhares de reais, saberíamos se a obra atingiria seu objetivo — antes de sua execução.

Anúncios

Tags:, , , , ,

About Alexandre da Rocha

Nasci carioca, nasci guanabarino. Desconfio que nasci marinho. Cheguei a deixar do mar, sim... Mas cadê que o mar deixou de mim? Vim morar
%d blogueiros gostam disto: