OPINIÕES | Desarmamento, uma bobagem

Robinson Pereira*

Uma lei de desarmamento é uma bobagem porque é algo para inglês ver. É uma medida populista para ser tomada como satisfação em um momento de tensão nacional.

As armas nas mãos das ditas pessoas de bem seriam uma preocupação porque PODEM CORRER o risco de serem roubadas. Mas não são todas as armas legais que são roubadas. Talvez seja uma pequena parte.

Ou seja, vamos fazer uma lei de desarmamento por causa de uma exceção.

Mas digamos que a lei seja necessária e útil. Vamos recolher todas as armas registradas do país para que elas não possam ser roubadas por bandidos para serem usadas depois pelos próprios bandidos. Isso vai significar que os criminosos sofrerão um duro golpe e precisarão comprar armas de outros “fornecedores”.

Tais fornecedores vão se negar a vender armas ao crime organizado?

Ora bolas, eles já fazem isso. O que vai acontecer é que simplesmente esse mercado vai engrossar, os lucros vão aumentar para os mercadores de armas.

O mercado negro e o mundo do crime continuarão contando com armas.

Será assim mais fácil recolher armas dos criminosos? Não vejo motivo para surgir tal facilidade. Muito pelo contrário. Ao invés do bandido comprar um 38 cano curto com 5 balas no tambor, vai comprar uma Browning Hi Power com 16 cartuchos no pente. Ou então uma Beretta 93R com opção para tiros em rajadas curtas. Os mais exibidos vão comprar pistolas israelenses Desert Eagla niqueladas, como já vi nas mãos de bandidos em documentários.

Eles também poderão deixar de comprar taurus 32 para comprar um Ruger Mini 14, uma Uzi, uma sub Uzi ou uma pistola russa Makarov.

Não podendo mais comprar uma PT 99 da Taurus, poderão comprar um AR-15 quase pelo mesmo preço, barato pelo fato de ter limitação de rajadas, como aqueles vendidos no mercado americano, mas que funcionam com perfeição como arma de repetição.

Do mercado chinês para abastecer esse mercado que sofrerá o duro golpe da lei de desarmamento, virão sub fuzis Chicon de calibre 5,56 com carregadores para 250 cartuchos, competindo bem com os caros sub fuzis americanos da mesma bitola.

Agora, se o governo quiser colocar em prática a lei que já existe, impedindo o comércio ilegal de armas e retirando as armas das mãos de bandidos, e também fechando as nossas fronteiras para esse comércio, fatalmente loucos como o matador de Realengo terão menos opções.

Mas mesmo assim poderão usar facas, botijões de gás e outras coisas que matam.

Esse tipo de raciocínio obtuso de nossas autoridades lembram uma conversa que ouvi, certo dia, em um aeroporto, quando duas senhoras faziam comentários sobre terrorismo:

— Terrorismo aqui no Brasil não tem como existir. Homem bomba aqui no Brasil não duraria muito…

*Robinson Pereira é Mestre em Literatura pela UFSC

Fonte: http://textosecreto.blogspot.com/2011/04/por-que-o-desarmamento-e-uma-bobagem.html

 

Anúncios

Tags:,

About Alexandre da Rocha

Nasci carioca, nasci guanabarino. Desconfio que nasci marinho. Cheguei a deixar do mar, sim... Mas cadê que o mar deixou de mim? Vim morar
%d blogueiros gostam disto: