AQUAVIA | Irlandeses investem na cabotagem

Log-In Belém fundeado no Rio de Janeiro

A empresa irlandesa TBS International vai ingressar na disputa pelo mercado da cabotagem brasileira atráves de uma joint-venture que pretende se dedicar ao transporte de cargas break-bulk, superpesadas e especiais.

A gigante dos tweendeckers e do transporte de granel sólido detém 70% da participação da Log.Star Navegação, enquanto os 30% restantes pertencem à Log-In Logística Intermodal.

A Log.Star já adquiriu os primeiros navios da sua frota e obteve autorização para inicias suas operações, segundo declarou o executivo-chefe da TBS, Joseph Royce, à publicação inglesa Lloyd’s List.

Royce disse que a entrada dos irlandeses na cabotagem foi motivada pela previsão de uma grande expansão da economia e da infraestrutra brasileiras, pela extensão da costa, e pela expectativa de que a preocupação com o meio ambiente leve o transporte rodoviário a ceder espaço para o aquaviário.

— A opção pelo caminhão está se tornando inviável. O Brasil não é diferente de nenhum outro país — afirmou Royce.

A Log.Star começa suas atividades com três navios vindos da Log-In Logistica – os trigêmeos Log-In BelémLog-In Macau and Log-In Manaus, de 11.270 toneladas de deadweight. Os navios, que estavam fora de serviço, serão afretados a casco nu pela Log.Star e manterão bandeira e tripulação nacionais.

A nova empresa pretende se concentrar na movimentação de carga geral, fracionada, superpesada e especial e de pequenas quantidades de granéis sólidos ao longo da costa e da Bacia Amazônica. Em um comunicado, a TBS acentua que “espera empregar seu conhecimento especializado no transporte internacional de carga break-bulk para atender à crescente demanda destas rotas”.

Com informações de LLOYD´S LIST

Anúncios

Tags:, , ,

About Alexandre da Rocha

Nasci carioca, nasci guanabarino. Desconfio que nasci marinho. Cheguei a deixar do mar, sim... Mas cadê que o mar deixou de mim? Vim morar
%d blogueiros gostam disto: