NAVIOS | Aumenta o interesse por novos conteineiros

O interesse em navios porta-contêineres novos retorna após 18 meses de inércia, graças à rápida recuperação do volume transportado e consequente escassez de capacidade.

Diversos brokers estão de olho em vários tamanhos, e esperam que os pedidos aumentem nos próximos meses, apesar de aumentos de cerca 10% nos preços cobrados pelos estaleiros, cuja atividade tem sido aquecida pela demanda no setor de navios-tanque e graneleiros.

Com pouca oferta de espaço em alguns setores e a aproximação do pico da demanda, o tamanho da frota ainda inativa caiu a meros 380 mil TEUs, ou 2,8% da capacidade, uma queda dramática em relação aos 12% observados no final do ano passado.

Somente dois navios na faixa de 5.000 a 7.500 TEUs e um navio de mais de 7.500 TEUs permanecem fora de serviço — e, destes três, um está em reparos e outro está retido em estaleiro, aguardando entrega.

Já entre os navios com capacidade entre mil e 2 mil TEUs, a inatividade atinge 69 navios.

A reativação da frota não foi prejudicada pela entrada em operação de mais de 410 mil TEUs novos apenas no segundo trimestre.

Mercado de afretamentos movimentado. A escassez de navios faz com que o valor dos afretamentos continue subindo de forma consistente.

Segundo a respeitada consultoria Braemar Seascope, um exemplo da tendência de alta do mercado é o navio Commodore, de 2.764 TEUs, que foi afretado por US$ 13.850 diários.

Outra mostra de que o mercado está favorável aos proprietários é o afretamento de três navios de 2,500 TEUs, com guindastes, à Maersk. Nos próximos 18 meses, a gigante dinamarquesa do setor pagará, por cada um deles, US$ 11.500 por dia.

No início do ano, navios deste porte não receberiam mais que US$ 5.000 por dia.

Com informações de Lloyd’s List

Anúncios

About Alexandre da Rocha

Nasci carioca, nasci guanabarino. Desconfio que nasci marinho. Cheguei a deixar do mar, sim... Mas cadê que o mar deixou de mim? Vim morar
%d blogueiros gostam disto: