Contêineres: MSC culpa clientes por crise global

MSC Daniela (14.000 TEUs de capacidade)

Os clientes dos armadores são responsáveis pela maior crise da história do transporte marítimo de contêineres e ainda contribuem para a instabilidade “persistente e danosa” do preço do frete no setor, disse o chefe da segunda maior transportadora de contêineres do planeta.

Em entrevista dada à publicação inglesa Financial Times, Gianluigi Aponte , executivo-chefe da Mediterranean Shipping Company, acusou os exportadores e importadores  de se aproveitarem do excesso de capacidade dos armadores para instigar a queda dos preços do frete, reduzindo as receitas por contêiner a níveis insuficientes para cobrir os custos operacionais.

“Os embarcadores não são assim tão complexos”, disse Aponte. “Eles sempre se preocupam sobre quem pode transportar a carga deles por 50 dólares a menos. Os embarcadores só se importam com o preço.”

Os embarcadores também fizeram pressão sobre a Comissão Europeia de Transporte Marítimo para que esta tornasse proscrito o sistema de conferências no qual os armadores costumavam debater sobre o futuro do equilíbrio entre oferta e demanda, de modo a atenuar a volatilidade dos preços.

A extinção das conferências, decisão que Aponte classificou como “erro grave”, ocorreu em 17 de outubro de 2008 — bem no momento em que a crise ganhava força. Desde então, o preço do frete de um contêiner de 20 pés da Ásia para a Europa variou de US$ 350, em janeiro de 2009, até os atuais US$ 1.500.

“A insistência dos embarcadores em se livrar da conferência… criará muita instabilidade futura para a economia da Europa e do mundo”, afirmou Aponte. “Quintuplicamos o frete em um ano. Se a situação persistir, talvez ele até dobre de novo. Isto vai contra os interesses do consumidor.”

O executivo-chefe da MSC rebateu as acusações de concorrentes de que a empresa que dirige teria feito reduções agressivas de preços no começo da crise, de modo a manter seu espaço no mercado: “Seria crasso e irresponsável da parte de uma empresa no nosso négocio reduzir o frete.”

Sobre o futuro, Aponte disse acreditar na sobrevivência dos grandes armadores à crise. “Vamos recuperar as nossas perdas em 2010.”

Anúncios

Tags:, , , , , ,

About Alexandre da Rocha

Nasci carioca, nasci guanabarino. Desconfio que nasci marinho. Cheguei a deixar do mar, sim... Mas cadê que o mar deixou de mim? Vim morar
%d blogueiros gostam disto: